Ficha da oliveira
Apresentação da Oliveira, árvore muito apreciada pela generosidade do principal produto que origina - o azeite. Conheça as principais características morfológicas e preferências ecológicas da espécie.

IDENTIFICAÇÃO

A oliveira (Olea europea L.) é uma angiospérmica dicotiledônea, da família das Oleáceas, a mesma família a que pertence o freixo, o ligustro ou o lilás. A oliveira cultivada para produção de azeite é a O. europaea L. var. europaea, ocorrendo frequentemente a O. europaea L. var. sylvestris Brot. conhecido por zambujeiro.

CARACTERÍSTICAS GERAIS E MORFOLÓGICAS

É uma árvore que raras vezes atinge os 10 metros de altura na variedade europaea ou 15 metros na variedade silvestris, de folha persistente. O porte é assim mediano, com um tronco que toma formas curvas, mais ou menos tortuosas, e uma copa que tem tendência para adensar, com lançamentos verticais que mais tarde pendem, formando uma copa esférica. O tronco é liso nos primeiros anos, pardo acinzentado, mas posteriormente ganha um tom pardo amarelado ligeiramente rugoso.

As folhas são verdes-acinzentadas, escuras na página superior e acinzentadas ou prateadas na página inferior, são lanceoladas (em forma do bico de uma lança) com um pequeno bico terminal, brilhantes e com a margem inteira. O comprimento é variável mas é comum atingirem os 6-8 cm de comprimento e largura muito variável, dependente da variedade. O pecíolo das folhas é curto e da zona da axila das folhas saem umas inflorescências em cacho com um número muito variável de flores, bissexuais poligâmicas com quatro pétalas bancas a amarelas pálidas que florescem de setembro a novembro.

O fruto é uma drupa ovóide ou sub-ovóide, com caroço (endocarpo) duro estriado e de forma característica da variedade, mesocarpo carnudo e suculento, e pele cuja cor varia com a maturação.

OCORRÊNCIA

A Oliveira parece ter a sua origem na Ásia Menor em tempos muito remotos. Sabe-se que era cultura frequente no Egito há mais de 4000 anos. A sua difusão pela região mediterrânica foi facilitada pelas invasões e trocas comerciais que sempre se deram nesta região. No entanto terá sido com as invasões romanas que esta cultura conheceu a maior difusão.

Neste momento está difundida por todo o Mundo sendo cultivada nas Américas, África do Sul, Japão e Austrália.

Fonte: http://www.naturlink.pt