Produção de Azeitonas para produção de óleo
Publicado na site do Campo e Lavoura - RBS TV

Azeitonas Gaúchas
Reportagem: Felipe Zavarize, Cachoeira do Sul, RS
A produção de azeitonas para extração de óleo em Cachoeira do Sul, na região central do Rio Grande do Sul, promete mudar o conceito sobre a cultura de oliveiras no Estado. Um dos produtores mostra que é possível sim fazer uma boa colheita da fruta e em menos da metade do tempo previsto. Uma aposta que deu certo. O fruticultor José Alberto Auéd queria ocupar os doze hectares de terra que tinha sobrando no interior de Cachoeira do Sul. Resolveu criar um pomar de oliveiras para a extração de óleo de oliva. O produtor Jose Alberto Aued conta que colheram de uma árvore a quantidade exata de vinte quilos e que a partir deste momento eles acreditam que o Rio Grande do Sul tenha todas as condições de entrar no mercado do azeite de oliva . A produção de azeitonas no Brasil é inexpressiva. Praticamente cem por cento da fruta e do azeite consumidos aqui é importado. No Rio Grande do Sul, já se planta oliveiras há 70 anos, mas há seis a cultura foi retomada com mais força e chega na sua primeira colheita comercial. A Olivas do Sul será responsável por pelo menos metade da produção gaúcha. Serão colhidas até 15 toneladas de azeitonas. Um trabalho de sucesso que traz boas perspectivas para a cultura da oliva no rio grande do sul. Antônio Conte, coordenador de fruticultura da emater no rs diz que é uma cultura permanente que leva 10 a 15 anos para dar resposta, mas que estão no caminho da produção buscando a autosuficiência. para ele, se tiverem as produções que estão mostrando este ano e estiverem livres do frete de Santiago do Chile até São Paulo, da Europa ou da Ásia ate o Brasil, provavelmente terão mais condições de competir. Uma oliveira precisa de sete ou oito anos para começar a produzir bem. Até nos países europeus
de maior tradição, como a Itália, é comum esperar este período para retirar um bom número de frutas e uma azeitona pronta para comercialização. A Oivas do Sul está colhendo em árvores de três anos. Clesio Gianello, especialista em solo da Universidade Federal do Rio Grande do Sul diz que com a produtividade e produção que tem nesta região com o senhor Aued ele está convencido que no Rio Grande do Sul, fazendo um manejo correto do solo e na zona adequada para produção de oliveira- porque existe um zoneamento que foi divulgado pela embrapa - é possível sim o cultivo da oliveira com vistas comerciais. Nem toda a produção de Caçapava do Sul, que tem a maior área plantada de azeitonas no Estado,vai alcançar a quantidade colhida nesta propriedade. Fora isso, o produtor está apostando não só na produção de olivas, mas também na criação de mudas e na comercialização do próprio azeite extra-virgem. Para isso comprou um moinho italiano e já começou a transformar azeitona em óleo. Para Auéd o futuro nos parece muito promissor. Eles trouxeram uma máquina que processa em média 40 quilos por hora. Mas para o ano que vem terão que trazer uma maquina um pouco maior