Variedades de oliveira > Mundo (algumas)

ARGENTINA
- Arauco
Destino: azeitona de mesa

Variedade provavelmente obtida da seleção de sementes de plantas provenientes da Espanha e introduzida na Argentina. Adaptada ao clima árido das zonas norte da Argentina, difundiu-se pela excelente qualidade dos seus frutos (tamanho e cor). Em condições climatéricas distintas, a produtividade desta variedade torna-se escassa.

A época de floração é média, com uma percentagem reduzida de aborto ovárico. A entrada em produção é média. A literatura científica assinala os seguintes polinizadores: Manzanilla, Arbequina, Pendonilo, Morchiaio e Ascolana. O seu pólen apresenta uma grande germinação. A sua produtividade é elevada e alternada. A cor dos frutos, cuja resistência ao desprendimento é elevada, varia entre o verde e o amarelo esverdeado, passando para vermelho vinolento e posteriormente preto. A consistência da polpa permite diferentes preparações. A relação polpa-caroço é elevada. Contém pouco azeite, sendo bastante fácil a separação da polpa do caroço.

É sensível, para além do frio, a numerosas doenças: tuberculoses, lepra, fumagina, cochonilha (inseto hemíptero, originário do México) e cercosporiose (resultante da atração dum fungo). É, por outro lado, tolerante aos solos áridos, salinos e calcários.

 

CHILE
- Azapa
Destino: azeitona de mesa

É uma variedade rústica de origem incerta. Muito semelhante à variedade Arauco da Argentina. A sua capacidade de enraizamento é média. A sua entrada em produção é precoce. A época de floração é média e a produção de pólen é abundante. A época de maduração é tardia.

A produtividade é média e alternada. Contém pouco azeite, e a separação da polpa do caroço é difícil. É uma variedade com dupla aptidão. Embora primeira utilização seja azeitona de mesa verde ou preta, também poderá ser utilizada para a produção de azeite.

A Azapa é muito resistente à seca e salinidade

GRÉCIA
- Adramitini
Destino: azeite

É uma variedade rústica, cuja capacidade de enraizamento é média. A entrada em produção é média, assim como a época de floração e o período de colheita.

A produtividade é média e alternada. Esta variedade, cujo conteúdo é rico em azeite, produz um azeite de excelente qualidade. A resistência ao desprendimento é média. A separação da polpa do caroço é bastante fácil.
É uma variedade muito sensível ao ataque da mosca da azeitona e à tuberculose.

- Amigdalolia
Destino: azeite e azeitona de mesa

Variedade de rusticidade média. A zona de difusão é bastante reduzida. O rendimento em azeite é médio. A capacidade de enraizamento é média. A sua principal utilização é produção de azeitonas verdes.

A entrada em produção é média, assim como a época de floração e o período de colheita. A percentagem de aborto ovariano é média. A produtividade é média e alternada. A resistência do fruto ao desprendimento é média, e a separação da polpa do caroço é difícil.

- Chalkidiki
Destino: azeitona de mesa

Variedade de rusticidade média. A capacidade de enraizamento é média. A entrada em produção é média, assim como a época de floração. A percentagem de aborto ovárico é igualmente média.

A colheita da azeitona é precoce. A resistência dos frutos ao desprendimento é média. A azeitona nunca atinge a cor preta. Assim, utiliza-se principalmente como azeitona de mesa verde. O rendimento em azeite é médio. A produtividade é média e alternada. A separação da polpa do caroço é fácil.

É uma variedade muito resistente à seca e ao frio.

- Kalamon
Destino: azeite e azeitona de mesa

Variedade de rusticidade média. A sua capacidade de enraizamento é média assim como a época de floração.

A época de maturação é tardia e a colheita da azeitona começa quando o fruto já está totalmente maduro. Apesar da sua dupla aptidão, destina-se principalmente à produção de azeitonas de mesa pretas estilo grego. A produtividade é elevada e alternada. O fruto é resistente aos possíveis tratamentos e manuseamentos, podendo ser utilizada de maneiras distintas, mantendo sempre a cor preta. A relação polpa/caroço é elevada e a sua separação é bastante fácil.

O rendimento em azeite é médio e o produto é de excelente qualidade.

É uma variedade que resiste ao frio e muito sensível a climas excessivamente quentes. É susceptível ao olho-de-pavão e verticiliose e resistente à tuberculose.

- Konservolia
Destino: azeite e azeitona de mesa

Variedade de rusticidade média. A capacidade de enraizamento é média. Em condições de irrigação, o seu crescimento é rápido e produz azeitona ao fim de 3 ou 4 anos. A percentagem de aborto ovárico é muito elevada. A época de floração é média e a maturação é média-tardia. A produtividade é elevada e alternada. A colheita da azeitona depende do destino a dar à azeitona.

A sua capacidade de adaptação a condições ambientais e climatéricas bastante diferentes, permite o seu cultivo desde o nível do mar até uma altitude de 500-600 metros, sempre que a pluviosidade não seja inferior a 500mm por ano.

Destina-se principalmente a azeitona de mesa verde, mas também é utilizada para produção de azeitona preta e para extração de azeite, uma vez que tem um rendimento em azeite médio e de elevada qualidade. A consistência da drupa é compacta, sendo por isso resistentes ao manuseamento e transporte. A separação da polpa do caroço é fácil.

É resistente ao frio e à tuberculose. É susceptível à verticiliose e sensível a climas quentes.

- Koroneiki
Destino: azeite

É a principal variedade utilizada pelos lagares de azeite gregos. A sua capacidade de enraizamento é média. A entrada em produção é precoce, assim como a época de floração e a maturação. A produção de pólen é abundante. A produtividade é elevada e constante. O rendimento em azeite é elevado e muito apreciado. Os níveis de ácidos gordo oleico são elevados e constantes.

É resistente à seca, mas intolerante ao frio. É resistente ao olho-de-pavão e também à verticiliose. È sensível à tuberculose.

- Mastoidis
Destino: azeite e azeitona de mesa

É uma variedade considerada rústica e pode cultivar-se até uma altitude de 1.000 metros relativamente ao nível do mar. Cultiva-se na zona mais alta e difícil da ilha de Creta. A sua capacidade de enraizamento é média, tal como a sua entrada em produção e época de floração. A produtividade é média e alternada. O rendimento em azeite é elevado. A polpa separa-se facilmente do caroço. É uma variedade tanto utilizada para azeitona de mesa preta como para extração de azeite de elevada qualidade.

È resistente ao frio e tolera os climas mais secos. É também resistente à tuberculose e sensível ao olho-de-pavão.

- Megaritiki
Destino: azeite e azeitona de mesa
É uma variedade rústica. A sua capacidade de enraizamento é média. A entrada em produção é média, assim como a época de floração e maduração. Apresenta uma percentagem baixa de aborto ovárico. A produtividade é média e alternada. É uma variedade da qual resultam frutos com diferente tamanho: a sub Micra, com fruto de tamanho pequeno, e a sub Megala, de fruto maior.

A azeitona resultante desta variedade destina-se a azeitona de mesa verde e preta, e também é utilizada para a extração de azeite, com um rendimento médio-alto. O azeite resultante é de elevada qualidade. A separação da polpa do caroço é difícil.

É resistente aos climas secos e é tolerante ao frio. É resistente à tuberculose e sensível ao olho-de-pavão e verticiliose.

- Valanolia
Destino: azeite

Variedade de rusticidade média. A sua capacidade de enraizamento é média, assim como a entrada em produção e época de floração. Apresenta uma percentagem média de aborto ovárico. O amadurecimento do fruto é médio-tardio. A produtividade é média e alternada. A azeitona destina-se exclusivamente à produção de azeite. Um azeite de excelente qualidade. A separação da polpa do caroço é difícil.

É tolerante ao frio e à seca. É resistente à verticiliose e tuberculose.

ITÁLIA

- Ascolana Tenera
Destino: azeitona de mesa

É uma variedade muito exigente relativamente às condições ambientais e climatéricas. Adapta-se melhor a solos frescos, soltos e ricos em calcário.

A entrada em produção é precoce. A frutificação é muito elevada sobretudo se as condições agronômicas reunidas forem as melhores. É uma variedade que entra em floração tardiamente e que tem elevada propensão a aborto ovariano. Os polinizadores são Santa Caterina, Itrana, Rosciola, Morchiaio e Giarraffa.

A produtividade é média e constante. A maturação é precoce. A consistência da polpa permite a sua utilização para azeitona de mesa verde em sal moura. A relação polpa/caroço é de fácil separação.

É particularmente tolerante ao frio e resistente ao olho-de-pavão, tuberculose e a fungos que atuam no tronco.

- Biancolilla
Destino: azeite
Variedade cuja zona idônea de cultivo é em cima das colinas. A produção poderá ser abundante mesmo em terrenos onde os recursos hídricos são escassos.

A sua capacidade de enraizamento é elevada e a entrada em produção é média. A época de floração é média. As flores, que apresentam uma elevada percentagem de aborto ovárico, produzem quantidades abundantes de pólen fértil. É parcialmente auto-compatível e os seus polinizadores poderão ser: Moresca, Zaituna, Tonda Iblea e Ogliarola messinese. A produtividade é elevada e alternada. É habitual uma forte floração e a presença de 3-4 drupas por inflorescência. Os frutos têm uma polpa pouco consistente. A azeitona tem um baixo rendimento em azeite, que se distingue pela sua cor clara. A separação da polpa do caroço é fácil.

Esta variedade é tolerante ao frio e resistente ao olho-de-pavão, mas muito sensível à mosca da oliveira e à tuberculose.

- Bosana
Destino: azeite

É uma variedade produtiva e de fácil adaptação. A capacidade de enraizamento é muito baixa.

A entrada em produção é tardia. A época de floração é média. É parcialmente auto-compatível e a produção aumenta com polinizadores idôneos como Pizz e Carroga, Olia Niedda, Cariasina di Dorgali, Tondo di Cagliari.

A produtividade é elevada e alternada. A maturação dos frutos produz-se desde a base até ao ápice e é tardia e escalonada. Em determinados anos, a azeitona poderá ser utilizada também para azeitona de mesa preta. O rendimento em azeite é elevado.

- Canino
Destino: azeite

Variedade rústica, de fácil adaptação e um desabrochar abundante. Apresenta uma boa capacidade de enraizamento e a entrada em produção é média.

As flores apresentam uma baixa percentagem de aborto ovárico. Ao ser uma variedade auto-incompatível precisa de polinizadores adequados como por exemplo Razzo, Frantoio, Crognolo, Fosco, Grossolana, Olivone, Palmarino, Leccino, Raja, Maurino e Moraiolo.

A maturação é tardia e escalonada e os frutos são muito resistentes ao desprendimento. A produtividade é elevada e alternada. O nível de azeite contido na azeitona é médio.

È resistente à mosca, à tuberculose e ao frio, e sensível ao olho-de-pavão.

- Carolea
Destino: azeite e azeitona de mesa
Variedade de fácil adaptação, que pode ser cultivada até os 800m de altitude.

A sua capacidade de enraizamento é elevada e a entrada em produção é precoce. É também uma variedade auto-incompatível, necessitando de polinizadores adequados como Nocellara messinese, Cassanese, Pidicuddara, Picholine e Itrana. A época de floração é precoce e o pólen apresenta uma capacidade germinativa elevada.

A produtividade é elevada e constante. A maturação dos frutos é escalonada e estes contêm um nível médio de azeite. A relação polpa/caroço é igual a 4,5 e a sua separação é difícil. È utilizada como azeitona de mesa verde ou preta, assim como para a extração de azeite.

É particularmente resistente a baixas temperaturas e sensível ao olho-de-pavão, mosca da azeitona e cercosporiose.

- Casaliva
Destino: azeite

É uma variedade vigorosa com uma produtividade elevada e constante. A entrada em produção é média.

É auto-compatível, mas necessita de polinizadores como Trepp, Rossanello e Grignam. Esta variedade é, por sua vez, uma excelente polinizadora. A época de floração é precoce e as flores apresentam uma baixa percentagem de aborto ovárico. A maturação é tardia e escalonada. A resistência ao desprendimento é elevada. O fruto contém um nível médio de azeite.

È sensível ao olho-de-pavão, mosca da azeitona, tuberculose e ao frio.

- Cassanese
Destino: azeite e azeitona de mesa

Variedade vigorosa e de rápido crescimento. A capacidade de enraizamento é elevada.

A entrada em produção é precoce, a época de floração é média e as flores apresentam uma elevada percentagem de aborto ovárico. É uma variedade auto-incompatível que necessita de polinizadores como Tondina, Corniola e Santomauro. A produtividade é elevada e constante. A maturação é muito tardia. É uma variedade com dupla aptidão, ou seja, pode ser utilizada para extração de azeite e azeitona de mesa preta. A relação polpa/caroço é de 7, e a separação é difícil. O nível de azeite contido é baixo.

È particularmente tolerante à tuberculose e olho-de-pavão, mas sensível ao frio e aos ataques de mosca da azeitona.

- Cellina di Nardò
Destino: azeite e azeitona de mesa.
É uma variedade rústica e vigorosa, com um crescimento vegetativo bastante lento.

A entrada em produção é média. A época de floração é precoce e as flores apresentam uma elevada percentagem de aborto ovárico. É parcialmente auto-compatível. É uma variedade utilizada como polinizadora. A sua produtividade é elevada e constante. A maturação das drupas é escalonada e os frutos apresentam elevada resistência ao desprendimento. O rendimento em azeite é baixo. Quando a azeitona não está totalmente madura, a extração de azeite torna-se bastante difícil.

É particularmente resistente ao frio e também à tuberculose, mosca de oliveira e olho-de-pavão.

- Coratina
Destino: azeite

Variedade de fácil adaptação às diferentes zonas de cultivo. A entrada em produção é muito precoce e a capacidade de enraizamento é elevada.

As flores apresentam uma baixa percentagem de aborto ovárico. Por vezes, apresenta inflorescências foliáceas. Na sua zona de origem, a variedade Cellina di Nardò é a polinizadora. A produtividade é elevada e constante. As drupas amadurecem tardiamente e o seu calibre é variável. Em alguns anos, a azeitona poderá ser utilizada também para a preparação de azeitonas verdes em salmoura. O rendimento em azeite é elevado e que se caracteriza por ser rico em polifenóis.

È tolerante ao frio e sensível a determinados fungos parasitas da oliveira.

- Cucco
Destino: azeite e azeitona de mesa

É uma variedade rústica e muito vigorosa e a capacidade de enraizamento é baixa.

A entrada em produção é tardia. A floração é precoce e a produção de pólen é escassa. É uma variedade auto-incompatível, cujas flores apresentam uma elevada percentagem de aborto ovárico. É incompatível com as variedades Dritta, Intosso, Castiglionese e Jannaro.

A produtividade é elevada e alternada. A época de maturação é precoce. A queda do fruto é acentuada ainda pela baixa resistência ao desprendimento.

A azeitona destina-se à produção de azeitonas de mesa verdes “ao natural” e pretas “ao estilo grego”. A relação polpa/caroço é igual a 4, sendo portanto fácil à separação. O rendimento em azeite é médio.

É resistente ao frio e sensível à tuberculose e a certos fungos.

 

- Dolce Agogia
Destino: azeite

Variedade com facilidade de adaptação a diferentes climas e solos. Os ramos frutíferos são de porte erguido e os botões apicais poderão resultar em flor assim mesmo. A capacidade de enraizamento é elevada.

A entrada em produção é precoce. A época de floração é tardia e muito frequentemente as inflorescências apresentam um excesso de flores. A percentagem de aborto ovárico é média. A produtividade é média e alternada. A maturação dos frutos é precoce. O fruto é muito resistente ao desprendimento e muito susceptível ao ataque da mosca da oliveira. O rendimento em azeite é médio. A relação polpa/caroço é igual a 4,7.

Para além de serem utilizadas para a obtenção de azeite, poderão ainda ser utilizadas para a produção de azeitonas pretas desidratadas.

É uma variedade particularmente resistente ao olho-de-pavão e à tuberculose. É sensível à seca e resistente ao frio.

- Dritta
Destino: azeite

Variedade rústica, muito apreciada pela constante e elevada produtividade. A entrada em produção é precoce, assim como a época de floração. As flores apresentam uma baixa percentagem de aborto ovárico.

É uma variedade auto-incompatível. Foram destacados os seguintes polinizadores: Gentile di Chieti, Leccino, Moraiolo, Precoce e Nebbio.

A época de maturação é precoce e os frutos podem ser apanhados mecanicamente pela baixa resistência que apresentam ao desprendimento. O rendimento em azeite é médio.

É particularmente tolerante ao frio e à tuberculose, mas sensível a alguns fungos.

- Frantoio
Destino: azeite

Variedade cuja produtividade é elevada e constante, muito apreciada pela sua capacidade de adaptação. Existem numerosas variedades geneticamente próximas a esta cultivar.

A capacidade de enraizamento é elevada. A entrada em produção é precoce, a época de floração é média e as flores apresentam uma baixa percentagem de aborto ovárico. É auto-compatível e melhora a sua produtividade com polinizadores adequados.

A época de maturação dos frutos é tardia e escalonada. O rendimento em azeite é médio. Esta variedade é muito apreciada na Toscana por produzir um azeite frutado e estável ao longo do tempo.
É sensível ao olho-de-pavão, tuberculose, mosca da oliveira e também ao frio.

- Giarraffa
Destino: azeitona de mesa

É uma variedade muito exigente relativamente às condições agronômicas. Apresenta uma boa capacidade de enraizamento.

A entrada em produção é precoce. A época de floração é também precoce e escalonada, e as flores apresentam uma elevada percentagem de aborto ovárico. É parcialmente auto-compatível. Os polinizadores desta variedade poderão ser Tonda Iblea, Nocellara Etnea, Nocellara del Belice, Passulunara e Ascolana Tenera, podendo esta variedade ser polinizadora de Nocelleara del belice e Ascolana Tenera.

A produtividade é baixa e alternada. Os frutos, que amadurecem muito cedo, destinam-se a azeitona de mesa verde ou preta. O nível de azeite contido é médio e a separação da polpa do caroço é fácil. A relação entre estes é igual a 5,6.

È sensível ao olho-de-pavão, tuberculose e à seca. Por outro lado, é muito resistente à cercosporiose.

- Grignam
Destino: azeite

É uma variedade muito rústica e de fácil adaptação às áreas de cultivo de oliveiras no norte de Itália. O crescimento vegetativo é lento e ressente-se com a prática de podas severas. Também se caracteriza pela abundante produção de ramos “ladrões”, ou seja, ramos que crescem junto ao tronco e que lhe roubam os nutrientes.

A entrada em produção é precoce. A floração não é abundante e apresenta uma percentagem média de aborto ovárico. É uma variedade auto-incompatível. Os polinizadores mais adequados são Trepp e Casaliva. A produtividade é média e constante. Os frutos amadurecem precoce e simultaneamente. A caída natural dos frutos é elevada. O rendimento em azeite é elevado.

Resistente ao frio, ao olho-de-pavão e à tuberculose, mas susceptível a ataques de mosca e de fungos.

- Itrana
Destino: azeite e azeitona de mesa

É uma variedade rústica, caracterizada pelo seu rápido crescimento. A capacidade de enraizamento é elevada.

A entrada em produção é média. As flores apresentam uma percentagem média de aborto ovárico. È uma variedade auto-incompatível. Os polinizadores mais adequados são Leccino, Pendolino e Olivastro.
A produtividade é elevada e alternada. O amadurecimento da azeitona é tardia e escalonada, e apresenta uma elevada resistência ao desprendimento.

É uma variedade que se destina à produção de azeitona de mesa preta (devido à fácil separação da polpa do caroço) ou à extração de azeite (pelos níveis médios contidos).

Resistente ao frio e às principais doenças, mas susceptível a ataques de mosca da azeitona.

- Leccino
Destino: azeite

É uma variedade vigorosa e de fácil adaptação às diferentes áreas de cultivo. A capacidade de enraizamento é elevada.

A entrada em produção é precoce. As flores apresentam uma baixa percentagem de aborto ovárico. É uma variedade auto-incompatível. Os polinizadores mais adequados são Moraiolo, Pendolino, Maurino, Frantoio, Morchiaio, Gremignolo di Bolgheri, Piagente, Razzo e Trillo.

A produtividade é elevada e constante. Os frutos amadurecem precocemente e simultaneamente, apresentando uma baixa resistência ao desprendimento. Os níveis de rendimento em azeite são baixos. A separação da polpa do caroço é fácil.

Resistente ao frio, ao olho-de-pavão, tuberculose, etc. No entanto, é uma variedade particularmente marcada pela possibilidade do aparecimento da fumagina (consequência dum ataque dum fungo e que dá uma tonalidade negra à árvore).

Recentemente foram identificados clones desta variedade tolerantes às baixas temperaturas e aptos para a produção de azeitona de mesa.

- Majatica di Ferrandina
Destino: azeite e azeitona de mesa

É uma variedade muito vigorosa e de difícil adaptação a outras áreas de cultivo que não a de origem. A capacidade de enraizamento é elevada.

Esta variedade é auto-compatível. A entrada em produção é média. A floração é precoce e as flores apresentam uma percentagem elevada de aborto ovárico.

A produtividade é elevada e alternada. O seu rendimento em azeite é elevado. No entanto, as drupas são principalmente apreciadas para a preparação de azeitonas desidratadas. A relação polpa/caroço é igual a 5,6 e por isso de fácil separação.

É uma variedade susceptível à tuberculose, olho-de-pavão e mosca da azeitona.

- Moraiolo
Destino: azeite

Variedade caracterizada pela sua grande rusticidade. Adapta-se mais facilmente às zonas de encosta. Tem dificuldade em cicatrizar após os trabalhos de poda.

A capacidade de enraizamento é elevada. A entrada em produção é precoce. É uma variedade auto-incompatível. Os polinizadores mais adequados são Maurino, Pendolino, Morchiaio, Lazerro, Razaio, Maremmano, Americano, Rosino e Mignolo. A época de floração é média. A percentagem de aborto ovárico não ultrapassa os 20% e a produção de pólen é elevada.

A produtividade é elevada e constante. A maturação é escalonada, o rendimento em azeite é elevado e é muito apreciado pelo seu sabor frutado.

É susceptível ao olho-de-pavão, tuberculose e alguns fungos. Tolerante a solos pouco úmidos e aos ventos marítimos.

- Nocellara del Belice
Destino: azeitona de mesa

É uma variedade de crescimento moderado e de fácil adaptação às diferentes condições ambientais. A capacidade de enraizamento é elevada.

A entrada em produção é precoce. As flores apresentam uma baixa percentagem de aborto ovárico. È uma variedade auto-incompatível. Geralmente poliniza-se com Giarraffa ou Pidicuddara, que já deram provas da sua eficácia enquanto polinizadoras.

A produtividade é elevada e constante. A maturação é tardia. A elevada consistência da polpa justifica a sua utilização para a preparação de azeitonas de mesa verdes em salmoura. A relação polpa/caroço é igual a 5,6 sendo de fácil separação. O azeite proveniente desta variedade é muito apreciado.

Variedade susceptível à verticiliose, ao olho-de-pavão , cercosporiose e tuberculose, sendo pelo contrário tolerante aos ataques de mosca da azeitona.

- Nocellara Etnea
Destino: azeite e azeitona de mesa

É uma variedade vigorosa, rústica e de rápido crescimento vegetativo. Tem particular dificuldade no enraizamento por estacas.

A entrada em produção é precoce. A floração é abundante e o pólen, do qual se produzem grandes quantidades, germina com muita facilidade. É uma variedade auto-incompatível. Os seus polinizadores são Zaituna, Biancolilla e Moresca. Foram ainda identificados fenômenos de incompatibilidade com os cultivares Ogliarola messinese e Tonda Iblea.
A produtividade é elevada e alternada. A maturação é tardia e os frutos apresentam uma resistência ao desprendimento bastante elevada. O rendimento em azeite é baixo. Pelo seu calibre uniforme, a consistência da polpa e a resistência durante o processo de produção é excelente para a preparação de azeitonas verdes. A relação polpa/caroço é igual a 6.

Resistente à tuberculose, mosca da azeitona e fumagina. Por outro lado, é susceptível ao olho de pavão.

- Ogliarola Barese
Destino: azeite

É uma variedade rústica e de rápido crescimento. A entrada em produção é média.

É auto-incompatível. As flores apresentam uma baixa percentagem de aborto ovárico. É também utilizada como polinizadora. A produtividade é média e alternada.

A maturação é tardia e os frutos apresentam uma resistência ao desprendimento elevada. O azeite, muito apreciado, é característico da zona de Bitonto.

É sensível às geadas, aos ventos marítimos, à tuberculose. Por outro lado é tolerante ao olho-de-pavão e susceptível aos ataques da mosca.

- Oliva di Cerignola
Destino: azeitona de mesa

É uma variedade muito exigente quanto às condições agronômicas. A capacidade de enraizamento é média.

A entrada em produção é precoce. A época de floração é tardia e as flores apresentam uma percentagem elevada de aborto ovárico. É uma variedade parcialmente auto-compatível, precisando de polinizadores adequados como Mele, Sant’Agostino e Termite di Bitetto.

A produtividade é média e alternada. Os frutos, que amadurecem precocemente, apresentam uma elevada resistência ao desprendimento. É apreciada pelo calibre das drupas, não pela qualidade da polpa que é dura, fibrosa e de difícil separação do caroço. Os frutos destinam-se à preparação de azeitonas de mesa verdes em salmoura. A relação polpa/caroço é igual a 3. O nível de azeite contido é baixo.

É susceptível ao olho-de-pavão, tuberculose, fumagina e mosca da azeitona, sendo também sensível ao frio.

- Ottobratica
Destino: azeite

É uma variedade muito rústica que atinge dimensões consideráveis. A capacidade de enraizamento é média. A entrada em produção é média.
É auto-incompatível. A época de floração é precoce e as flores apresentam uma percentagem elevada de aborto ovárico. A produtividade é elevada e alternada. Os frutos, que amadurecem precocemente, apresentam uma baixa resistência ao desprendimento e caracterizam-se pelo elevado rendimento em azeite. A separação da polpa do caroço é difícil.

É tolerante à tuberculose, ao olho-de-pavão e ao frio.

- Pendolino
Destino: azeite

É uma variedade de fácil adaptação a diferentes condições edafoclimáticas.

A capacidade de enraizamento é elevada.

A entrada em produção é precoce. A floração é abundante, precoce e prolongada. É uma variedade que pode ser utilizada como polinizadora e é auto-incompatível. As flores têm uma baixa percentagem de aborto ovárico. A produtividade é elevada e constante. A época de maduração é média e os frutos apresentam baixa resistência ao desprendimento. O rendimento em azeite é baixo.

É susceptível ao olho-de-pavão, tuberculose e fumagina. Tolera as baixas temperaturas e é bastante resistente ao ataque da mosca da azeitona.

- Pisciottana
Destino: azeite

É uma variedade muito produtiva de fácil adaptação até a zonas litorais. È vigorosa e caracteriza-se pela elevada capacidade de floração. A entrada em produção é média.

É parcialmente auto-incompatível. A produção é maior quando estão presentes os polinizadores Racioppa e Oliva Grossa. A floração é precoce. As flores têm uma baixa percentagem de aborto ovárico e o pólen tem fraca capacidade germinativa. A produtividade é elevada e alternada. A maturação é escalonada e os frutos são muito resistentes ao desprendimento. O rendimento em azeite é alto.

É tolerante a zonas com fraca pluviosidade, com ventos salinos e à tuberculose, fumagina e olho-de-pavão.

- Pizz’e Carroga
Destino: azeite e azeitona de mesa

É uma variedade de difícil adaptação a zonas que não a sua de origem. Tem uma boa capacidade de enraizamento. A entrada em produção é média.

È parcialmente auto-compatível. A fecundação melhora com a utilização de polinizadores como Tondo di Cagliari e Bosana. A floração é precoce. As flores têm uma percentagem média de aborto ovárico. A produtividade é elevada e alternada. Os frutos amadurecem precocemente e são aptos tanto para a produção de azeite como para a preparação de azeitonas de mesa verdes em salmoura. No entanto, o rendimento em azeite é baixo. A separação da polpa do caroço é fácil.

É sensível à tuberculose, olho-de-pavão e mosca.

- Rosciola
Destino: azeite

É uma variedade de dimensões reduzidas, rústica e de fácil adaptação às zonas de produção do centro de Itália. A capacidade de enraizamento é elevada.

A entrada em produção é tardia. A época de floração é média. As flores têm uma baixa percentagem de aborto ovárico. É auto-incompatível. As variedades Canino, Leccino, Olivastrone, Moraiolo e Raja são boas polinizadoras para esta variedade. O seu pólen tem uma grande capacidade de fecundação com variedades como Frantoio e Pendolino.

A produtividade é elevada e constante. A época de maturação dos frutos é precoce. A maturação é escalonada e se efetua de forma irregular desde o ápice até á base. As drupas apresentam uma baixa resistência ao desprendimento. O rendimento em azeite é médio.

È uma variedade que resiste bem ao frio. No entanto, é sensível à tuberculose, olho-de-pavão e mosca.

- Sant’Agostino
Destino: azeitona de mesa

É uma variedade pouco rústica e de difícil adaptação às distintas zonas de produção . O solo garante uma boa produtividade em condições de irrigação. A capacidade de enraizamento é baixa.

A entrada em produção é tardia. É auto-incompatível. As variedades Oliva di Cerignola, Mele e Termite di Bitetto são polinizadoras eficazes. Floresce a meados de maio, mais tardiamente que as variedades de azeite mais habituais da Apulia. As flores apresentam uma percentagem elevada de aborto ovárico. Os frutos amadurecem precocemente, têm um tamanho homogêneo e a sua aptidão é para preparação de azeitona de mesa verdes. A relação polpa/caroço é igual a 9, sendo portanto de fácil separação. O rendimento em azeite é baixo.

È uma variedade pouco tolerante a doenças como verticiliose, tuberculose, fumagina e frios primaveris. No entanto, é resistente ao olho-de-pavão.

- Santa Caterina
Destino: azeitona de mesa
É uma variedade adaptada a terrenos frescos de encosta. É rústica e apresenta um desenvolvimento considerável da copa, que tende a expandir-se. A capacidade de enraizamento é média.

A entrada em produção é precoce. A época de floração é média e as flores apresentam uma percentagem de aborto ovárico de 60%. É auto-incompatível. A produtividade é elevada e constante. Os frutos têm uma resistência média ao desprendimento. È uma variedade particularmente apta para a preparação de azeitonas verdes, pela elevada relação polpa/caroço dos frutos e, por isso, de fácil separação. O rendimento em azeite é baixo.

Esta variedade resiste às baixas temperaturas invernais.

- Taggiasca
Destino: azeite

Variedade de grande porte. A totalidade da olivicultura da província de imperia está dominada por esta variedade. É de fácil adaptação, tanto a zonas próximas do mar como a altas colinas. A capacidade de enraizamento é baixa.

A entrada em produção é precoce. A época de floração é média. É parcialmente auto-compatível. As flores apresentam uma baixa percentagem de aborto ovárico. A produtividade é elevada e constante. Os frutos, que amadurecem tardiamente, têm um elevado rendimento em azeite. A produção de Liguria é constituída majoritariamente por este azeite.

É sensível aos frios primaveris e à seca. É susceptível à tuberculose e à mosca da azeitona.

MARROCOS

- Haouzia
Destino: azeite e azeitona de mesa

É uma variedade que se difundiu recentemente. Pertence a uma seleção de clones da variedade Picholine marocaine. Diferencia-se das restantes variedades clonadas, pelo número de flores perfeitas por inflorescência, pela precocidade da entrada em produção, pela capacidade de multiplicação por estacas semi-lenhosas e pela maior produtividade. É uma variedade rústica e a capacidade de enraizamento é alta.

Em condições de irrigação, as primeiras azeitonas aparecem ao terceiro ano. A sua época de floração é média. É uma variedade parcialmente auto-compatível e apresenta uma elevada percentagem de aborto ovárico. Como polinizador utiliza-se a variedade Picholine Languedoc. A produtividade é elevada e alternada. A época de maturação dos frutos é média. Esta variedade é tanto utilizada para extração de azeite (com um rendimento de 23%) como para a produção de azeitonas de mesa verdes. A separação da polpa do caroço é fácil.

É muito resistente ao olho-de-pavão e tolerante à tuberculose e à seca.

- Menara

Destino: azeite e azeitona de mesa

Variedade nova, resultante da clonagem da variedade Picholine marocaine. Diferencia-se desta última pela maior aptidão para a multiplicação por estacas semi-lenhosas , pelo número de flores por inflorescência e um maior número de flores perfeitas, pela precocidade da entrada em produção e pela maior produtividade. É uma variedade muito rústica e a capacidade de enraizamento é alta.

Em condições de irrigação, o seu crescimento é muito rápido, assim como a entrada em produção (ao terceiro ano). A sua época de floração é média. Como variedade parcialmente auto-compatível que é, aconselha-se a utilização da variedade Picholine Languedoc como polinizadora. Apresenta uma percentagem média de aborto ovárico e a produção de pólen é abundante. A época de maturação dos frutos é média. Esta variedade é tanto utilizada para extração de azeite, com um rendimento de 24% e de elevada qualidade, como para a produção de azeitonas de mesa verdes ou pretas. A separação da polpa do caroço é fácil.

É particularmente resistente à tuberculose.

- Meslala
Destino: azeitona de mesa

Variedade de rusticidade média e produtiva. Cultiva-se em zonas de irrigação e com boa pluviosidade. É muito apreciada para a produção de azeitonas verdes, embora possa também ser utilizada para a extração de azeite de boa qualidade. A capacidade de enraizamento é média. A entrada em produção é tardia. A época de floração é média. É uma variedade auto-compatível e apresenta uma percentagem média de aborto ovárico. A produção de pólen é abundante. A produtividade é elevada e alternada. A resistência ao desprendimento é baixa. O rendimento em azeite é baixo, sendo a separação da polpa do caroço fácil.

É resistente ao olho-de-pavão e muito sensível à tuberculose.

- Picholine marocaine
Destino: azeite e azeitona de mesa

Adapta-se facilmente as condições climatéricas e solo de Marrocos. É uma variedade rústica. A capacidade de enraizamento é média.

A entrada em produção é média, assim como a época de floração. É parcialmente auto-compatível e apresenta uma percentagem média de aborto ovárico. É uma variedade com produção abundante de pólen. Pela sua resistência à seca, utiliza-se como porta-enxerto a variedade Picholine Languedoc. A produtividade é elevada e alternada.

É uma variedade com dupla aptidão. Para azeitona de mesa obtêm-se todo o tipo de produtos, desde azeitonas verdes partidas até às azeitonas negras maduras. A separação da polpa do caroço é fácil. O rendimento no lagar e médio (20%). A qualidade do azeite é excelente. Contem níveis elevados de ácido oleico. Outra característica do azeite que resulta desta variedade é a resistência à coagulação (conserva a sua fluidez até os 12ºC negativos), utilizando-se por isso em produtos enlatados.

È sensível ao olho-de-pavão.

PORTUGAL

- Carrasquenha
Destino: azeite e azeitona de mesa

É uma variedade que se adapta a diversos tipos de solos e a climas secos, sendo portanto sensível ao excesso de umidade.

Dada à baixa capacidade de enraizamento recorre-se à enxertia para a sua propagação.

A entrada em produção é média, assim como a época de floração. É considerada parcialmente auto-compatível. A época de maturação é média e a força exercida para retenção dos frutos é elevada. A produtividade é elevada e alternada.

Apresenta um rendimento médio a elevado em azeite e de boa qualidade. Também é utilizada para a preparação de azeitona de mesa verde.

È susceptível à tuberculose.

- Cobrançosa
Destino: azeite

Variedade apreciada pela sua fácil adaptação a climas frios e resistência à clorose férrica originada pelos solos com calcário. É considerada susceptível à seca e salinidade. A capacidade de enraizamento é média.

A entrada em produção é média, assim como a época de floração e é auto-compatível. A produtividade é elevada e constante. A época de maduração dos frutos é média e apresenta baixa resistência ao desprendimento, embora a caída natural seja escassa, o que facilita a apanha mecanizada. O nível de azeite contido é médio.

È susceptível à tuberculose e lepra.

- Cordovil de Castelo Branco
Destino: azeite e azeitona de mesa

Variedade de rusticidade média, com certa tolerância ao frio, seca e salinidade. A propagação é feita tanto por estaca como por estacas semi-lenhosas.

A entrada em produção é média, assim como a época de floração e é considerada auto-compatível. A produtividade é média a elevada e constante. Os seus frutos, de maturação média, apresentam resistência ao desprendimento e, por isso, adaptáveis à apanha mecânica.

È uma variedade com bom rendimento em azeite e de boa qualidade. O fruto poderá também ser utilizado para conserva.

È susceptível à tuberculose e lepra.

- Cordovil de Serpa
Destino: azeite e azeitona de mesa

Variedade rústica, com certa tolerância ao calcário, mas sensível ao frio, à seca e salinidade. A capacidade de enraizamento é média.

A entrada em produção é precoce. A época de floração é média e os seus frutos apresentam certa resistência ao desprendimento, que desaparece quando a maturação termina. O rendimento em azeite é médio e é apreciado pela sua elevada qualidade e pela abundância de ácido oleico. É também muito apreciada para produção de azeitona de mesa verde. A separação da polpa do caroço é fácil.

È susceptível à tuberculose e resistente à mosca.

- Galega Vulgar
Destino: azeite e azeitona de mesa

Variedade apreciada pela sua tolerância à seca. É sensível ao frio, à salinidade e ao calcário.

A capacidade de enraizamento pode variar entre média e baixa, uma vez que tem dificuldade de enraizamento por estacas semi-lenhosas em nebulização, e é considerada protetora de outras variedades.

A entrada em produção é precoce. A época de floração é média e é considerada auto-compatível. A produtividade é elevada e alternada. A maturação dos frutos ocorre muito cedo. Estes apresentam uma elevada resistência ao desprendimento, o que dificulta a apanha mecânica.

É uma variedade que se dedica fundamentalmente à obtenção de azeite, apesar do baixo rendimento, e embora seja também apreciada como azeitona de mesa. A separação da polpa do caroço é fácil.

É resistente à verticiliose, mas susceptível à tuberculose, lepra e mosca.

- Maçanilha Algarvia
Destino: azeite e azeitona de mesa

Variedade considerada rústica pela sua tolerância ao frio, à seca e à salinidade. A capacidade de enraizamento é média.

A entrada em produção é média. A variedade é considerada auto-compatível e apresenta uma baixa percentagem de aborto ovárico. A produtividade é média e alternada. A época de maturação é média e os seus frutos são pouco resistentes ao desprendimento, o que contribui para a colheita mecanizada.

Pode ser utilizada tanto para obtenção de azeite, pelo seu elevado rendimento, como para azeitona de mesa, verdes ou maduras devido ao tamanho e calibre dos seus frutos. A separação da polpa do caroço é difícil.

É susceptível à tuberculose, lepra e mosca da azeitona.

- Redondal
Destino: azeite e azeitona de mesa

Variedade susceptível ao frio, à seca e à salinidade. A capacidade de enraizamento é média.

A entrada em produção é tardia. A época de floração é média e é considerada auto-compatível. A época de maduração é média. Os seus frutos apresentam uma resistência média ao desprendimento. Pelo elevado rendimento em azeite, bem como pela sua qualidade e abundância em ácidos oléicos, é utilizada para extração de azeite. Como azeitona de mesa, é apreciada pelo seu tamanho. A separação da polpa do caroço é fácil.

Considera-se sensível à tuberculose e lepra.

ESPANHA

- Alfafara
Destino: azeite

Variedade resistente ao frio e susceptível à seca. Enraíza facilmente por estacas e poderá ser usada como protetora de outras variedades. A entrada em produção é média. A produtividade é elevada e alternada. A maturação dos frutos é tardia e a resistência ao desprendimento é média. O nível de azeite contido nos frutos é baixo a médio, e o índice de extração é muito baixo. O azeite é de boa qualidade. No entanto, poderá ser utilizada também para a preparação de azeitonas verdes.

Considera-se muito resistente à tuberculose e sensível ao olho-de-pavão.

- Aloreña
Destino: azeitona de mesa

Variedade pouco vigorosa e particularmente susceptível à seca. A entrada em produção é precoce. A produtividade é elevada e constante. A época de maturação é média. Os frutos apresentam uma baixa resistência ao desprendimento, o que facilita a colheita mecanizada.

Como o seu principal destino é azeitona de mesa verde, os frutos são apanhados em finais de Agosto, sendo muito apreciados pela qualidade da polpa, embora não aguentem muito tempo o adoçamento. A separação da polpa do caroço é difícil. O rendimento em azeite é médio e de pouca qualidade.

Variedade sensível ao olho-de-pavão.

- Arbequina
Destino: azeite

Variedade rústica pela resistência ao frio e tolerância à salinidade. É susceptível a clorose férrica em terrenos com muito calcário.

A capacidade de enraizamento é elevada e a entrada em produção é precoce.

A floração é média e é considerada auto-compatível.

Os seus frutos têm uma força de retenção média. No entanto, o pequeno calibre dificulta a apanha mecanizada com o vibrador de tronco.

É apreciada pela produtividade elevada e constante. A qualidade do azeite é excelente, principalmente pelas suas características organolépticas, apesar da baixa estabilidade. O rendimento em azeite é elevado. O porte reduzido desta variedade permite o seu cultivo em plantações intensivas.

É uma variedade sensível à mosca e verticiliose, e tolerante ao olho-de-pavão e tuberculose.

Esta é a variedade base das denominações de Origem Les Garrigues (Lleida) e Siurana (Tarragona) da Catalunha.

- Bical
Destino: azeite

Variedade produtiva e de fácil adaptação à zona de cultivo. A entrada em produção varia entre média e tardia. Adapta-se facilmente à colheita mecanizada.

Os frutos são de qualidade para a produção de azeitona de mesa e originam um azeite com boas características organolépticas. O rendimento em azeite é médio.

- Blanqueta
Destino: azeite

Variedade pouco vigorosa, é considerada rústica pela sua adaptação a climas secos e resistência ao frio.

A capacidade de enraizamento é elevada e a entrada em produção é precoce. A floração é tardia e o pólen apresenta baixa germinação.

A produtividade é elevada e constante. A época de maturação dos frutos é média e a força de retenção dos mesmos é relativamente elevada, o que dificulta a colheita mecânica. O rendimento em azeite é elevado e a qualidade é muito apreciada. Os azeites são doces e frutados, mas de fraca estabilidade.

É uma variedade resistente a olho-de-pavão e tuberculose.

- Callosina
Destino: azeite

Variedade muito apreciada pela sua resistência à seca. Enraiza facilmente e é considerada auto-compatível. A entrada em produção é média.

A maturação dos frutos é tardia e a força de retenção dos mesmos à árvore é relativamente elevada, o que dificulta a operação de colheita.

É apreciada pela sua produtividade elevada e constante e pelo seu alto rendimento em azeite e de boa qualidade. Para azeitona de mesa é apreciada pela qualidade da polpa e por aguentar bastante tempo temperada. A relação polpa/caroço é média.

É uma variedade susceptível ao olho-de-pavão e resistente à tuberculose e à mosca da azeitona.

- Carrasqueño de la Sierra
Destino: azeite

Variedade pouco rústica, na medida em que sofre bastante com invernos frios e com a seca. No entanto parece bastante tolerante ao calcário. A capacidade de enraizamento por estacas semi-lenhosas é elevada. A entrada em produção é média.

A época de floração é entre média a tardia e a maturação é tardia. A produtividade é média e constante. A elevada força de retenção dos frutos dificulta a colheita mecânica.

Apresenta dupla aptidão, embora a sua principal utilização seja para a produção de azeite, considerando-se de baixo rendimento em azeite.

É uma variedade susceptível ao olho-de-pavão e à tuberculose.

- Castellana
Destino: azeite

Variedade de vigor médio, com bom desempenho em terrenos pobres e climas frios. A capacidade de enraizamento por estacas é elevada. A época de maturação é média e a força de retenção dos frutos à árvore é elevada. A produtividade é elevada e constante.

Destina-se exclusivamente à obtenção de azeite, sendo o rendimento e a sua qualidade médios.

È uma variedade susceptível à tuberculose.

- Changlot Real
Destino: azeite

Variedade de fácil adaptação a solos desfavoráveis. É susceptível ao frio e à seca. A sua época de floração é média e a entrada em produção é precoce.

A produtividade é elevada e alternada. A época de maduração é média. A elevada força de retenção dos frutos dificulta a recolha mecânica. É uma variedade apreciada pelo seu alto rendimento em azeite, assim como pela sua qualidade.

É uma variedade susceptível à tuberculose, mas resistente à mosca da azeitona.

- Cornicabra
Destino: azeite

Variedade de fácil enraizamento e adaptação a solos pobres e zonas secas e frias.

A entrada em produção é tardia, assim como a sua época de floração. Embora possa ter uma elevada percentagem de aborto ovárico, assegura uma elevada percentagem de fecundação em autopolinização. O pólen apresenta baixa capacidade de germinação.

A produtividade é elevada e alternada. A época de maduração dos frutos é tardia e apresentam uma elevada resistência ao desprendimento, o que dificulta a recolha mecânica.

Variedade apreciada pelo elevado rendimento e qualidade do azeite, com excelentes características organolépticas e elevada estabilidade. É também utilizada para azeitona de mesa, pela qualidade da polpa.

É uma variedade especialmente susceptível à tuberculose, verticiliose e olho de pavão.

È também sensível aos ataques de mosca da azeitona.

- Empeltre
Destino: azeite

Variedade rústica, susceptível a Invernos rigorosos.

A capacidade de enraizamento é baixa, o que leva à habitual propagação por enxertia. A entrada em produção é tardia. A época de floração começa cedo e é uma variedade considerada parcialmente auto-compatível e com pólen com fraco poder germinativo.
A produtividade é elevada e constante. Os frutos amadurecem cedo e apresentam uma baixa resistência ao desprendimento, facilitando a apanha mecanizada.

Variedade apreciada pelo elevado rendimento e excelente qualidade do azeite. É também utilizada para preparação de azeitona de mesa negra.

É uma variedade tolerante à verticiliose, mas sensível ao olho de pavão, tuberculose e ataques de mosca.

- Farga
Destino: azeite

Variedade muito vigorosa, com grande capacidade de resposta a podas severas, e muito rústica pela tolerância ao frio do inverno.

A capacidade de enraizamento é baixa. Tem um bom comportamento como protetora de outras variedades menos vigorosas.

A entrada em produção é tardia. A sua época de floração começa cedo, assim como a maturação dos frutos.

A produtividade é elevada e alternada. Os frutos apresentam uma elevada força de retenção, o que dificulta a recolha mecanizada. O rendimento em azeite é elevado e de muito boa qualidade, mas de difícil extração.

É considerada susceptível à verticiliose e ao olho de pavão, e resistente à tuberculose.

- Gordal de Granada
Destino: azeitona de mesa

Variedade vigorosa. Enraíza facilmente por estacas.

Com uma entrada em produção tardia, a produtividade é elevada e alternada.

O rendimento em azeite é baixo e a separação da polpa do caroço é difícil. É apreciada como azeitona de mesa pelo tamanho dos frutos.

É considerada susceptível à tuberculose.

- Gordal Sevillana
Destino: azeitona de mesa

Variedade vigorosa quando está enxertada, mas cujas próprias raízes são pouco vigorosas. É tolerante ao frio e à umidade e, portanto, sensível à seca.

A capacidade de enraizamento por estacas semi-lenhosas é muito baixa, o que leva à habitual propagação por enxerto.

A entrada em produção é média, assim como a época de floração. É uma variedade auto-incompatível e com um elevado índice de aborto ovárico e com pólen de baixa capacidade de germinação.

A produtividade é baixa e alternada. A época de maduração dos frutos é precoce e destinam-se exclusivamente para preparação de azeitonas de mesa, uma vez que contêm baixo rendimento em azeite. É apreciada para azeitona de mesa mais pelo elevado tamanho dos frutos, do que pela sua qualidade. A separação da polpa/caroço é difícil e a sua textura débil e sensível exigem um processo industrial muito cuidadoso.

É uma variedade resistente ao olho de pavão e susceptível à tuberculose.

- Hojiblanca
Destino: azeite e azeitona de mesa

Variedade de fácil enraizamento e resistente a solos calcários. É considerada rústica pela resistência à seca e tolerância ao frio invernal.

A entrada em produção é média. A produtividade é elevada e alternada. Os frutos apresentam elevada resistência ao desprendimento, o que dificulta a colheita mecanizada. Têm dupla aptidão e são considerados muito apropriados para a preparação de azeitona negra de estilo “californiano” pela textura firme da sua polpa. O rendimento em azeite é baixo, mas muito apreciado pela sua qualidade, embora de baixa estabilidade. A separação da polpa/caroço é difícil.

É considerada susceptível ao olho de pavão, tuberculose e verticiliose. No entanto, não se destaca pela resistência à mosca da azeitona e lepra.

- Lechín de Granada
Destino: azeite

Variedade vigorosa de fácil adaptação a solos calcários e à seca. Também é considerada tolerante ao frio.

A entrada em produção é precoce. A época de floração é média e é considerada auto-compatível.

A produtividade é elevada e alternada. A época de maturação dos seus frutos é tardia e apresenta uma elevada força de retenção que, juntamente com o seu tamanho pequeno, dificulta qualquer tipo de apanha, seja manual ou mecanizada. É uma variedade apreciada pela sua produtividade, elevado rendimento em azeite e pela sua excelente qualidade. O azeite tem uma cor amarelada e é de baixa estabilidade. Em algumas zonas é também utilizada para preparação de azeitonas negras, destacando-se pela durabilidade da conservação após serem transformadas.

È muito susceptível ao olho de pavão, tuberculose e mosca da azeitona.

- Lechín de Sevilla
Destino: azeite

Variedade vigorosa e de fácil adaptação a terrenos desfavoráveis e a zonas frias.

Apresenta uma elevada resistência a solos calcários, à salinidade e à seca. Devido à sua rusticidade é considerada uma excelente protetora para outras variedades.

A entrada em produção é média, assim como a época de floração. Em determinadas ocasiões, apresenta uma elevada percentagem de aborto ovárico e grãos de pólen com pouca capacidade germinativa. No entanto, é considerada uma variedade auto-compatível.

A produtividade é elevada e alternada. A época de maturação dos seus frutos começa cedo. Estes apresentam uma elevada relação entre força de retenção e tamanho, o que dificulta a colheita mecanizada. Encontra-se em regressão por conter apenas um nível médio de rendimento em azeite e pela dificuldade de desprendimento na apanha. Porém, o azeite proveniente desta variedade é apreciado organolepticamente (que também poderá ser utilizada para preparação de azeitonas negras).

É muito susceptível à tuberculose, mas destaca-se pela elevada resistência ao olho de pavão e mosca da azeitona.

- Loaime
Destino: azeitona de mesa

Variedade pouco vigorosa, muito produtiva e tolerante à seca.

A entrada em produção é tardia. Tem bom rendimento em azeite, sendo este de elevada qualidade. A separação da polpa do caroço é difícil.

Esta variedade está mais vocacionada para azeitona de mesa. Uma vez madura, deixa-se secar ao sol, é misturada com sal e é armazenada durante bastante tempo. Este tipo de preparação só é possível graças ao sabor doce da azeitona quando está madura, não sendo necessário recorrer aos adoçamentos tradicionais para que se tornem comestíveis.

Estas características, e a sua maturação precoce, tornam o fruto muito susceptível aos ataques de pássaros.

Parece sensível ao olho de pavão.

- Lucio
Destino: azeite

Variedade muito vigorosa, de produtividade baixa e alternada. Propaga-se facilmente por estacas.

A entrada em produção é tardia e a maturação dos frutos é precoce. Apresentam baixa resistência ao desprendimento, o que facilita a apanha.

É apreciada para a produção de azeite devido ao seu alto rendimento.

Considera-se sensível ao olho de pavão e ao frio.

- Manzanilla Cacereña

Destino: azeite e azeitona de mesa

Variedade pouco vigorosa e que se adapta facilmente a solos pobres e ao frio.

A capacidade de enraizamento é muito elevada.

A entrada em produção é precoce. A época de floração começa cedo e é considerada auto-compatível e de baixa percentagem de aborto ovárico. A produtividade é elevada e constante.

A maturação dos frutos é precoce e apresenta uma baixa força de retenção, o que facilita a colheita mecanizada.

É muito apreciada para azeitona de mesa, tanto verde como negra, pela qualidade da polpa. O rendimento em azeite é baixo, apesar da elevada qualidade que lhe é característica. A separação da polpa do caroço é fácil.

Considera-se sensível à verticiliose e tolerante à mosca e tuberculose.

- Manzanilla Prieta
Destino: azeite e azeitona de mesa

Variedade com boa adaptação a terrenos úmidos e a regiões frias.

A época de floração varia entre média e tardia.

A produtividade é média e constante. A época de maturação dos frutos é precoce. O rendimento em azeite e a separação da polpa/caroço é difícil. É apreciada tanto para azeitona de mesa como para azeite, sendo que este é considerado de boa qualidade. Os frutos têm uma elevada força de retenção, dificultando a operação de colheita.

Considera-se susceptível ao olho de pavão e tuberculose.

- Manzanilla de Sevilla
Destino: azeitona de mesa

Variedade de vigor reduzido que se adapta facilmente ao cultivo intensivo. É considerada susceptível a asfixia radical, à clorose férrica em solos calcários e ao frio invernal.

A capacidade de enraizamento é média, tanto por estaca como por estacas semi-lenhosas com nebulização.

A entrada em produção é precoce. A época de floração é média e o pólen apresenta uma elevada capacidade germinativa.

A produtividade é elevada e alternada. A época de maturação é precoce e apresenta uma elevada resistência ao desprendimento. Em Espanha, é utilizada principalmente para a preparação de azeitona verde ao estilo sevilhano. Nos Estados Unidos é utilizada para preparação de azeitona preta ao estilo “californiano”. É a variedade mais apreciada internacionalmente pela sua produtividade e pela qualidade da azeitona. Para além disso, o azeite é de elevada qualidade e estável. A separação da polpa do caroço é fácil.

Considera-se sensível à verticiliose, ao olho de pavão, tuberculose, lepra e mosca da azeitona.

- Molar de Cieza
Destino: azeitona de mesa

Variedade pouco rústica, uma vez que é considerada susceptível tanto ao frio como à seca.

Enraíza bem por estacas, embora na sua zona de cultivo se recorra à enxertia.

A entrada em produção é precoce, assim como a época de maturação. A produtividade é elevada e constante. Os frutos destinam-se principalmente à preparação de azeitona de mesa, pela qualidade da polpa e pela fácil separação do caroço. A delicadeza da polpa requer uma apanha cuidadosa, e também por isso não aguenta muito tempo temperada.
Para produção de azeite, tem um baixo rendimento em azeite, embora este seja de qualidade. Apresenta uma baixa força de retenção, o que facilita a apanha mecanizada.

Considera-se susceptível ao olho de pavão e muito resistente à tuberculose

- Morisca
Destino: azeite e azeitona de mesa

Variedade rústica de fácil adaptação a solos pobres, embora sensível ao frio invernal. A capacidade de enraizamento é escassa.

A entrada de maturação é tardia, com baixa resistência ao desprendimento. Variedade apreciada pela sua produtividade elevada e constante, tamanho da azeitona e rendimento em azeite. É também utilizada para preparação de azeitona de mesa verde.

Considera-se sensível ao olho de pavão, tuberculose e mosca da azeitona.

- Morona
Destino: azeitona de mesa

Variedade rústica, muito apreciada pela produtividade elevada e constante.

Propaga-se facilmente por estacas. A entrada em produção é média, assim como a época de floração.

A entrada de maturação dos frutos é tardia e estes são utilizados para preparação de azeitona de mesa pelo seu tamanho, qualidade e elevada relação polpa/caroço. A textura firme da azeitona permite uma preparação pouco delicada. No entanto, o rendimento em azeite é médio a baixo e a separação da polpa/caroço é difícil.

Considera-se resistente à tuberculose.

- Morrut
Destino: azeite

É considerada pouco rústica, pela susceptibilidade à seca, solos pobres e ao frio de Inverno.

Multiplica-se facilmente por estacas semi-lenhosas em nebulização.

A entrada em produção é tardia. A época de floração é muito precoce e poderá apresentar uma elevada percentagem de aborto ovárico.

A produtividade é baixa e alternada. A entrada de maduração dos frutos é muito tardia e a apanha mecanizada é fácil. Apresenta um bom rendimento em azeite, mas com pouca estabilidade.

Não é susceptível ao ataque da mosca da azeitona, mas é sensível ao olho de pavão.

- Palomar
Destino: azeite

Variedade exigente no que respeita a clima e solo. A capacidade de enraizamento é elevada. A entrada em produção é média. A época de floração é precoce e apresenta um pólen com baixa capacidade germinativa.

A produtividade é elevada e alternada. A época de maturação termina muito cedo e os seus frutos apresentam uma baixa resistência ao desprendimento, o que facilita a apanha mecanizada. O rendimento em azeite é elevado, sendo muito apreciado pela sua elevada qualidade organoléptico e estabilidade.

É considerada muito sensível ao olho de pavão.

- Picual
Destino: azeite

Variedade rústica pela sua adaptação às mais diversas condições de clima e solo, sendo particularmente tolerante ao frio, à salinidade e ao excesso de umidade no solo. No entanto, é sensível à seca e a terrenos abundantes em calcário.

É de fácil propagação vegetativa por estaca e por estaca semi-lenhosa. Apresenta uma elevada capacidade de rejuvenescimento após podas severas.

A entrada em produção é precoce. A época de floração é média e é considerada auto-compatível. A maturação dos frutos é precoce e apresenta uma baixa resistência ao desprendimento, o que facilita a colheita mecanizada.

É muito apreciada pela sua produtividade elevada e constante, pelo elevado rendimento em azeite e facilidade de cultivo. A qualidade do azeite é média, embora se destaque pela sua elevada estabilidade.

É uma variedade tolerante à tuberculose e lepra, mas muito sensível ao olho de pavão, verticiliose e mosca da azeitona.

- Picudo
Destino: azeite

Variedade vigorosa, considerada rústica pela sua elevada tolerância a solos ricos em calcário e ao excesso de umidade no solo. Também lhe é atribuída certa tolerância ao frio.

A capacidade de enraizamento é elevada. A entrada em produção é precoce. A época de floração é média e o pólen apresenta uma elevada capacidade germinativa, o que a torna recomendável enquanto polinizadora.

A produtividade é elevada e alternada. A época de maturação dos frutos é tardia e estes apresentam uma elevada força de retenção, o que dificulta a colheita mecanizada.

É uma variedade muito valorizada pelo rendimento em azeite e pelas excelentes características organolépticas do azeite. Este é também caracterizado por conter uma elevada percentagem de ácido linoleico, pelo sabor pouco amargo e pela baixa estabilidade. É também apreciada para preparação de azeitonas de mesa.

Considera-se muito sensível ao olho de pavão, lepra e tuberculose.

- Rapasayo
Destino: azeite e azeitona de mesa

Variedade muito rústica pela adaptação a terrenos pobres. A capacidade de enraizamento por estacas semi-lenhosas é média.

A época de floração varia entre média a tardia e a entrada em produção é tardia. A produtividade é baixa e alternada.

A maturação dos frutos é tardia e estes apresenta baixo rendimento em azeite. Poderá destinar-se a azeitona de mesa. A força de retenção dos frutos é elevada.

Parece tolerante a tuberculose.

- Royal de Cazorla
Destino: azeite

Variedade pouco vigorosa, que não suporta podas severas, mas de grande rusticidade e adaptação a solos pobres. A entrada em produção é tardia. A época de floração começa cedo e a maturação é tardia. A produtividade é elevada e constante. Os seus frutos apresentam elevada resistência ao desprendimento, o que dificulta a apanha mecanizada.

O rendimento em azeite varia entre médio e baixo, e este é de muito boa qualidade.

É considerada susceptível ao olho de pavão e tuberculose.

- Sevilhenca
Destino: azeite

Variedade vigorosa. É considerada pouco rústica pela susceptibilidade à seca.

A capacidade de enraizamento por estacas é média, a entrada em produção é média e a época de floração é tardia.

A produtividade é elevada e constante e a época de maturação dos frutos é média. A relação entre a resistência ao desprendimento e o peso dos frutos é baixa, o que facilita a apanha mecanizada.

O rendimento em azeite é médio, assim como a sua qualidade, devido ao baixo índice de ácidos oléicos e baixa estabilidade. No entanto, é muito apreciado organolepticamente. O azeite é extraído com muita facilidade. Em determinadas ocasiões é também utilizado para azeitona de mesa, apresentando uma relação polpa/caroço média.

Susceptível a mosca e olho de pavão.

- Verdial de Badajoz
Destino: azeite

Variedade muito vigorosa, apreciada pela sua notável resistência à seca.

A capacidade de enraizamento é média e a capacidade de rejuvenescimento após podas severas é limitada.

A entrada em produção é média. A época de floração é média e poderá apresentar uma percentagem elevada de aborto ovárico.

Com uma produtividade média e alternada, a época de maturação é média e apresenta uma elevada resistência ao desprendimento, o que dificulta a apanha da azeitona.

É uma variedade apreciada para azeite pelo elevado rendimento, e para azeitona de mesa pelo tamanho dos frutos e pela facilidade na preparação.

Considera-se muito susceptível a tuberculose, lepra e mosca.

- Verdial de Huevar
Destino: azeite

Variedade de grande adaptação a terrenos úmidos e compactos, e a condições de seca. É também tolerante às geadas invernais.

A capacidade de enraizamento é baixa. A entrada em produção é tardia, assim como a época de floração. É considerada parcialmente auto-incompatível. Apresenta uma elevada percentagem de aborto ovárico e pólen com escassa capacidade germinativa.
De produtividade baixa e alternada, a época de maturação é muito tardia (é daí proveniente a sua denominação “Verdial”). A elevada resistência ao desprendimento dificulta a apanha mecanizada da azeitona.

Tem rendimento médio em azeite, sendo este considerado de qualidade. É também utilizada para azeitona de mesa preta (por oxidação), devido à textura firme da polpa.

Considera-se sensível ao olho de pavão e verticiliose. No entanto, é resistente a
tuberculose e mosca.

- Verdial de Velez-Málaga
Destino: azeite

Variedade de vigor médio que não suporta podas severas, as quais responde com dificuldade. A capacidade de enraizamento é baixa. A entrada em produção é média e a produtividade é elevada e constante. A época de maturação varia entre precoce e média e a força de retenção dos frutos é relativamente elevada. É muito apreciada pelo elevado rendimento em azeite e pela excelente qualidade do azeite que produzem.

Considera-se sensível ao olho de pavão e resistente a mosca.

- Verdiell
Destino: azeite

Variedade resistente ao frio mas susceptível à seca. Multiplica-se facilmente por estacas semi-lenhosas em nebulização. A entrada em produção é média e a produtividade é elevada e alternada. A época de maturação dos frutos é tardia e estes apresentam uma força de retenção elevada, o que dificulta qualquer tipo de apanha. Apresenta um rendimento médio em azeite, que se extrai com alguma dificuldade e que apresenta uma grande estabilidade.

Considera-se muito tolerante a pragas e doenças.

- Villalonga
Destino: azeite e azeitona de mesa

Variedade produtiva, mas muito exigente no que diz respeito às condições de cultivo. É susceptível ao frio e à seca. No entanto, parece tolerar o excesso de umidade no solo.

A capacidade de enraizamento é baixa. A entrada em produção é precoce. A época de floração é média e poderá apresentar uma percentagem baixa de aborto ovárico.

A produtividade é elevada e constante. A época de maturação dos seus frutos começa cedo. Estes apresentam uma baixa resistência ao desprendimento que, junto com o porte erguido dos ramos, facilita a apanha mecanizada.

O rendimento em azeite é elevado, e este de muito boa qualidade. Como azeitona de mesa, é apreciada tanto para preparação de azeitona verde ou preta. A separação da polpa do caroço é difícil.

Considera-se muito susceptível à tuberculose e ao olho de pavão.

TUNÍSIA

- Chemlali de Sfax
Destino: azeite

É uma variedade cujas origens são antiquíssimas. É característica de uma zona onde a pluviosidade média anual é de apenas 200mm, com variações que oscilam entre os 80 e 350mm, dependendo dos anos. É a variedade mais importante e representada do país.

Estende-se por toda a costa tunisina, desde Korbá e Gabès. Também foram registrados bons resultados na zona sudoeste do país, mais concretamente em Sidi Bouzid e Meknassi. No norte do país, a árvore é vigorosa e produtiva, mas o processo de extração é muito difícil. Tentou-se difundir a variedade pelas zonas centrais do país, como Aïn Jloula, Oueslatia e Sbeitla, verificando-se ser muito sensível à tuberculose. A árvore é de grande rusticidade e a capacidade de enraizamento é baixa.

A entrada em produção é tardia e a floração é precoce. É auto-compatível e a produção de pólen é abundante. A produtividade é elevada e alternada. A maturação é tardia. Os frutos são pequenos e estão agrupados em conjuntos compactos, em determinadas ocasiões numerosos. O rendimento em azeite varia entre médio a alto, podendo atingir os 25%. O azeite é muito característico tanto do ponto de vista químico como do ponto de vista organoléptico.

É resistente à seca e apresenta alguma tolerância à salinidade. É sensível à tuberculose.

- Chétoui
Destino: azeite e azeitona de mesa

Variedade de rusticidade média, com uma elevada capacidade de enraizamento. A entrada em produção é média, assim como a época de floração. É auto-compatível e apresenta uma percentagem média de aborto ovárico. A produtividade é baixa e constante. Os frutos amadurecem em Dezembro e colhem-se em Janeiro e Fevereiro.

É uma das variedades mais importantes da Tunísia para a produção de azeite (e a principal no norte do país). Adapta-se particularmente bem às zonas costeiras do norte, onde a pluviosidade média nunca é inferior aos 400mm anuais.

Utiliza-se principalmente para a extração de azeite, de boa qualidade, embora possa ser utilizada também para a preparação de azeitonas de mesa negras. A separação polpa/caroço é fácil e o rendimento em azeite é médio.

É tolerante ao frio e à salinidade, mas precisa de uma boa irrigação. É resistente às pragas e doenças mais comuns, mas é sensível ao olho de pavão.

- Gerboui
Destino: azeite e azeitona de mesa

É uma das variedades tunisinas mais antigas e conhecidas. Variedade de vigor e rusticidade médios. A capacidade de enraizamento é baixa. O fruto é adequado para a produção de azeitonas de mesa verdes ou pretas. É comercializada como Petite Marsaline e é também utilizada para a extração de azeite.

A entrada em produção é precoce, assim como a época de floração. É parcialmente auto-compatível e apresenta uma percentagem baixa de aborto ovárico. A produção de pólen é média e a produtividade é média e alternada. Os frutos amadurecem precocemente. O rendimento em azeite é baixo. A separação da polpa do caroço é difícil. É bastante sensível à seca e medianamente tolerante ao frio e à salinidade.

É altamente resistente ao olho de pavão e à lepra. Tolera a tuberculose.

- Meski
Destino: azeitona de mesa

Variedade da zona setentrional da Tunísia. O vigor e rusticidade são baixos, assim como a sua capacidade de enraizamento.

A entrada em produção é média e a época de floração é precoce. É auto-incompatível e apresenta uma elevada percentagem de aborto ovárico. A produção de pólen é baixa. As variedades que mais se utilizam como polinizadoras são Chétoui, Besbessi e Picholine Languedoc. A produtividade é média e constante. Os frutos amadurecem precocemente.

O seu rendimento em azeite é baixo. A separação da polpa do caroço é fácil e os frutos, utilizados para a produção de azeitonas de mesa verdes, podem ser conservadas sem adoçar, uma vez que são pouco amargas.

É resistente à salinidade e sensível à seca e a solos com calcários. É muito susceptível ao olho de pavão. Apesar da boa qualidade dos seus frutos, não está muito propagada. É medianamente tolerante à tuberculose.

- Oueslati
Destino: azeite e azeitona de mesa

O nome da variedade, Oueslati, vem de Djebel Oueslet, o seu centro de cultivo situado no norte do país.

A produtividade é elevada e alternada e a maturação é precoce. A resistência do fruto ao desprendimento é baixa. O rendimento em azeite é elevado. O que determinou a sua difusão no centro do país, de onde é oriunda por excelência, foi a sua resistência à tuberculose. Já a variedade Chemlali de Sfax, introduzida nas regiões centrais do país, vê-se rapidamente afetada por variadíssimos tumores bacterianos, que reduzem consideravelmente a frutificação. As árvores Oueslati são praticamente imunes a esta doença.

Distingue-se essencialmente por duas características: a resistência à tuberculose e o volume reduzido da copa, adequando-se a cultivos intensivos.

ESTADOS UNIDOS
- Mission
Destino: azeite e azeitona de mesa

Variedade considerada rústica pela sua resistência ao frio. A capacidade de enraizamento é média. É uma das variedades para a produção de azeitona de mesa mais importantes na Califórnia, chegando a representar mais de 50% da produção.

A entrada em produção é média. Floresce em finais de Maio. É auto-compatível e apresenta uma percentagem média de aborto ovárico. A produtividade é média e alternada. Os frutos amadurecem tardiamente. É apreciada por ter dupla aptidão, utilizando-se para azeitona de mesa verde ou preta, ou para produção de azeite. O rendimento do fruto maduro em azeite é de 22%, sendo que o azeite resultante é de boa qualidade, especialmente o obtido na zona de Butte (Vale de Sacramento). O período de apanha varia de acordo com o destino dado ao fruto. A resistência dos frutos ao desprendimento é média.

A separação da polpa do caroço é fácil. O porte erguido da árvore facilita a apanha mecanizada. É considerada sensível ao olho de pavão e verticiliose. É resistente à tuberculose.

Fonte: http://www.sovenagroup.com